quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Expoinel mineira agita capital do Zebú

A capital mundial do zebu ficou agitada na segunda quinzena de fevereiro com a Expoinel Minas 2013 aconteceu de 14 a 24 fevereiro, no Parque Fernando Costa, em Uberaba - MG e registrou a entrada de 848 animais em pista de 101 expositores, sendo 525 fêmeas e 323 machos.
Grande destaque da Expoinel mineira foi a Rima Agropecuária que ficou em primeiro lugar nas categorias Expositor e Criador, levou os campeonatos Campeã Fêmea Adulta com a charmosa RIMA FIV ELLARA, Campeã Novilha Menor com a bela FLORIDA VIII FIV DA MV, e fez dobradinha no campeonato Bezerra levantando as taças com as Campeã Bezerra: RIMA FIV GALICIA e a Reservada Campeã Bezerra com a RIMA FIV GLÓRIA. A receita do sucesso segundo Bruno Vicintin, é aliar genética comprovada (matrizes e raçadores exemplares) a nutrição e manejo apropriados.
Outro animal em evidencia foi FEITOR FIV ST CRUZ  do expositor Gil Pereira, que sagrou-se Campeão Touro Jovem e levou a categoria Reservado Grande Campeão.
A  belíssima BROMELIA TE BAR do criador Paulo Afonso Frias Trindade Júnior, levou  o campeonato Novilha Maior e elegante ELKRO FIV FNT foi o  Reservado Campeão Touro Sênior.Segundo o criador Paulo Trindade a exposição" premiou os animais com maior precocidade reprodutiva e com ganho de peso acima da média, valorizando o equilíbrio racial que é buscado dentro da raça" .  

O criador acredita estar no caminho certo, pois "para nós não poderia ser melhor,  tivemos ótimos resultados, premiamos vários animais, e dentre eles esses citado acima que foram os maiores destaques. Fazer um Grande Campeão é fruto de muito trabalho e dedicação, e esperamos chegar entre os primeiros novamente".

O belo ESPARTAGO FIV FNT, da Agropecuária Vila dos Pinheiros conquistou a categoria Campeão Touro Sênior e sagrou-se como Grande Campeão da Expoinel Mineira 2013.

Além dos julgamentos o público pode conferir estandes de vendas de produtos para a agropecuária como cochos, balanças, currais, marcas, cabrestos, selaria, sêmen, rações, adubos, genética, sal mineral, cutelaria, entre outros produtos Para o gestor executivo da Nelore Minas, Loy Rocha  o evento foi "sucesso sob todos os aspectos, desde o número de animais à presença de alguns dos maiores criadores e expositores do Brasil, e a alta qualidade dos animais testou profundamente o conhecimento dos jurados desta exposição".
Resultado Final Expoinel Minas 2013

EXPOSITOR:
1º RIMA AGROPECUÁRIA LTDA
2º AGROPECUÁRIA VILA DOS PINHEIROS
3º FAZENDA DO SABIÁ LTDA

CRIADOR:
1º RIMA AGROPECUÁRIA LTDA
2º FAZENDA DO SABIÁ
3º JATOBA AGRICULTURA PEC. INDUSTRIA
Grande Campeão
ESPARTAGO FIV FNT
Expositor: Agropecuária Vila dos Pinheiros LTDA.
Reservado Grande Campeão
FEITOR FIV ST CRUZ
Expositor: Gil Pereira
Campeão Touro Sênior
ESPARTAGO FIV FNT
Expositor: Agropecuária Vila dos Pinheiros LTDA.
Reservado Campeão Touro Sênior
ELKRO FIV FNT
Expositor: Paulo Afonso Frias Trindade Júnior
Campeão Touro Jovem
FEITOR FIV ST CRUZ
Expositor: Gil Pereira
Reservado Campeão Touro Jovem
BOSTON FIV HVP
Expositor: Agropecuária Vila dos Pinheiros LTDA.
Campeão Junior Maior
KONGO TE MAFRA
Expositor: Rogério Antonio Ferreira Santos
Reservado Júnior Maior
GARDEL FIV DA SABIÁ
Expositor: Fazenda do Sabiá Ltda.
Campeão Júnior Menor
KAYAK TE MAFRA
Expositor: EAO Empreend. Agrop. e Obras S/A
Reservado Campeão Júnior Menor
JAKHO 3 TE PORT
Expositor: Dorival Antonio Bianchi
Campeão Bezerro
ARCO XXVI FIV DA RIBALTA
Expositor: Ricardo Goulart Carvalho
Reservado Campeão Bezerro
NEBRASKA FIV DO MURA
Expositor: Carlos Seara Muradas
Grande Campeã
RIMA FIV ELLARA
Expositor: Rima Agropecuária Ltda.
Reservada Grande Campeã
BRAVESH FIV AGRO JB
Expositor: Agropecuária Vila dos Pinheiros Ltda.
Campeã Fêmea Adulta
RIMA FIV ELLARA
Expositor: Rima Agropecuária Ltda.
Reservada Campeã Fêmea Adulta
ISMA TE PORT
Expositor: Agroz Adm. Bens Zurita Ltda
Campeã Fêmea Jovem
BRAVESH FIV AGRO JB
Expositor: Agropecuária Vila dos Pinheiros Ltda.
Reservada Campeã Fêmea Jovem
MOGIANA I FIV
Expositor: Miguel Pinto de Santana Filho
Campeã Novilha Maior
BROMELIA TE BAR
Expositor: Paulo Afonso Frias Trindade Junior
Reservada Campeã Novilha Maior
ESPN KARINA
Expositor: EAO Empreend. Agrop. e Obras S/A
Campeã Novilha Menor
FLORIDA VIII FIV DA MV
Expositor: Rima Agropecuária Ltda.
Reservada Campeã Novilha Menor
CAMPECINA 5 BIONATUS
Expositor: Agropecuária Vila dos Pinheiros Ltda.
Campeã Bezerra:
RIMA FIV GALICIA
Expositor: Rima Agropecuária Ltda.
Reservada Campeã Bezerra:
RIMA FIV GLÓRIA
Expositor: Rima Agropecuária Ltda.
Realização: AMCN - Associação Mineira dos Criadores de Nelore 
Apoio: ACNB - Associação dos Criadores de Nelore do Brasil e ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu.
Imagem: Pitty




Atendimento a imprensa:
Aline FernandesComunicação Nelore do Brasil55 11 3293 891055 11 985 060 063

Leilões da Expoinel mineira faturam R$ 5 milhões.


A Expoinel Minas 2013 aconteceu de 14 a 24 fevereiro, no Parque Fernando Costa, em Uberaba – MG e contou com quatro Leilões Oficiais da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil que ofertaram animais premiados, embriões, prenhezes de renomadas doadoras, matrizes e reprodutores de genética apurada.

A Fazenda Nova Trindade abriu os leilões da Expoinel mineira no dia 21 de fevereiro com o Leilão Nova Trindade Elite e Convidados  que faturou R$ 784.000,00 em sua primeira edição. O resultado confirmou as expectativas dos promotores do leilão, Paulo Afonso Frias Trindade Júnior acredita que "2013 será mais um ano de bons investimentos. Nossa expectativa é de que o mercado continue tendo a mesma liquidez que observamos nessa primeira exposição do ano”. Sobre o leilão promovido na Expoinel Minas afirma: "os animais foram escolhidos com muito critério, procurando ofertar o que o investidor deseja".

"Os animais da raça Nelore são tudo o que o mercado quer" , foi com essa frase que o  Leiloeiro Paulo Brasil abriu a quinta edição do tradicional Leilão Minas de Ouro, que aconteceu no Tatersal, do Parque de Exposições Fernando Costa, na capital do Zebú, na sexta-feira, 22 de fevereiro. Os promotores Fazenda Baluarte, Nelore Integral, Fazenda do Sabiá, Nelore Colorado e Nelore Mafra comemoraram os resultados. Frederico Henriques Lima e Silva da Fazenda Baluarte , vice-presidente da ACNB informou que o crescimento do leilão foi de 30% em relação a 2012 com faturamento total de R$ 1.360.000,00. 

O destaque do Minas de Ouro foi o garrote Kaiak TE da Mafra -- Campeão Junior Menor desta Expoinel Minas, que teve 50% de sua posse vendida por R$ 410.000,00. O animal foi adquirido pela Rima Agropecuária  com o intuito de fortalecer seus conjuntos de progênies de pai. Segundo Fred, da Baluarte " os leilões desta exposição foram um sucesso, com crescimento em média e faturamento em todos os eventos. Isto mostra a força da Raça Nelore e as boas perspectivas para o ano".

A Rima Agropecuária e a Cristal Agropecuária, ofertaram no III Leilão Exclusive, dia 23 de fevereiro, as 13h, na churrascaria Cupim Grill, dentro do Parque de Exposições, fêmeas e machos de pista, reprodutores, matrizes e prenhezes. Entre os destaques comercializados, uma bezerra de 8 meses filha da Abelha TE do Carmo foi arrematada pelo valor de
R$ 120.000,00. Segundo Marcello Belo, Gerente comercial da Rima Agropecuária "os leiloes foram excelentes e apresentaram um crescimento expressivo, mesmo na atual conjuntura do mercado”. 


No total o leilão III Leilão Exclusive faturou R$ 1.600.000,00 e registrou crescimento de 130% em relação ao ano anterior. O gerente da Rima explica que "grande parte desse crescimento deve-se a entrada de novos investidores, aliado a uma excelente exposição realizada pelo novo presidente Sr. Renato Barcellos".

Paulo Horto, presidente da Programa Leilões ressalta que "os leilões tiveram ótima liquidez, já sinalizando que qualidade vai ter procura e preços valorizados". Segundo Horto, o ano de 2012 terminou muito bem e o faturamento dos leilões deste evento cresceu 7% em relação ao ano passado e registrou um faturamento de R$ 5 milhões. O destaque, segundo o presidente da Programa foi o recorde na categoria Campeão Júnior Menor, comercializando 50% do Bezerro Kayak FIV da Mafra por R$ 410.000,00.

Leiloeiros da Programa Leilões e Paulo Horto (de óculos)  

Bastidores do almoço de apresentações dos animais do Leilão Nova Trindade e Convidados 
Tatersal do Parque Fernando Costa lotado no Leilão Minas de Ouro

E a crise da carne equina continua.....


A Ikea, maior varejista de móveis da Europa, recolheu as almôndegas de carne oferecidas no balcão de alimentos de suas lojas em 13 países depois que inspetores tchecos detectaram traços de carne de cavalo no produto, informou a Dow Jones Newswires. 

Foi a mais nova empresa a se envolver no escândalo que sacode a Europa nas últimas semanas. De acordo com Ylva Magnusson, porta-voz da Ikea, foram retiradas as almôndegas das lojas da República Tcheca, Eslováquia, Hungria, França, Reino Unido, Portugal, Itália, Holanda, Bélgica, Espanha, Grécia, Chipre e Irlanda.

 "Assim que recebemos a informação das autoridades tchecas, interrompemos a venda desse produto". As almôndegas, supostamente de carne bovina e suína, foram produzidas pela sueca Familjen Dafgard. A empresa informou que deu início a testes duas semanas atrás.

imagem: Valor Econômico

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Rússia afirma não ter prazo para fim de restrições


Ainda não há previsão de quando os frigoríficos de Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso voltarão a exportar carnes para a Rússia. A informação foi dada pelo responsável pelo Serviço Sanitário Russo, Seguei Dankvert, ao presidente da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), Péricles Salazar, em reunião nesta quinta-feira, 21.

Embora tanto governo russo como o brasileiro aleguem que não há embargo, indústrias afirmam que, na prática, ainda há restrições para embarcar carnes ao mercado russo. Conforme Salazar, tendo em vista a recente divulgação do caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina, também conhecida como Mal da Vaca Louca, a habilitação das plantas do Paraná enfrentará dificuldades e não deve ter uma solução de curto prazo.

Informação de fonte que não quis se identificar, publicada pela Agência Estado, indica que representantes da Rússia iniciariam inspeções em unidades produtoras dos três Estados na próxima semana para avaliar se os ajustes requisitados foram realizados. O Ministério da Agricultura, contudo, afirma não ter informações sobre o assunto. Fonte: Portal DBO


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Bastidores do Leilão Nova Trindade


Os bastidores do Leilão Nova Trindade que acontece logo mais, a noitinha, com transmissão do Canal Rural agitou o almoço dos pecuaristas, criadores e admiradores da raça que estiveram presentes no almoço oferecido pela Fazenda Nova Trindade.

Segundo Antônio Alfeu do Nascimento, zootecnista e gerente da Fazenda Nova Trindade o "nível e qualidade dos animais da Expoinel mineira está excepcional e as perspectivas para 2013 são as melhores, esperamos um ano extraordinário". Com relação aos animais do leilão desta noite, Antônio, conhecido como Júnior da Nova Trindade ressalta: "iremos ofertas animais de pista e prenhezes de doadoras consagradas". 

Fique ligado e bons negócios!!!










Expoinel Mineira agora



Neste momento acontece o julgamento da categoria Fêmea Jovem e a bezerrada já está bem a vontade na pista de exposições do Parque Fernando Costa. Gerações na capital do zebú.




terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Escândalo da carne de cavalo afeta produtos da Nestlé


O escândalo da carne de cavalo chegou à Nestlé, maior empresa de alimentos do mundo. A companhia identificou DNA de cavalo em produtos feitos a partir da carne bovina fornecida por uma empresa alemã. Essa empresa, por sua vez, é subcontratada de uma filial do grupo brasileiro JBS.

A Nestlé decidiu retirar das prateleiras todos as marcas sob suspeita. E a JBS informou que suspendeu os contratos com o fornecedor alemão.

No Reino Unido, o governo se reuniu com os supermercados e garantiu à população que a quantidade encontrada nos testes foi muito pequena, mas o consumidor  está desconfiado.


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Exportações do agronegócio atingem US$ 96,66 bilhões no acumulado do ano


As exportações brasileiras do agronegócio, entre fevereiro de 2012 e janeiro de 2013, somaram US$ 96,66 bilhões, o que representa um crescimento de 1,1% sobre os doze meses anteriores. As importações alcançaram US$ 16,37 bilhões. O saldo da balança comercial do setor foi positivo em US$ 80,28 bilhões. As informações são da Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os setores que mais contribuíram para o crescimento de US$ 1,09 bilhão foram: cereais, farinhas e preparações (crescimento de US$ 3,27 bilhões), complexo soja (crescimento de US$ 1,04 bilhão), fibras e produtos têxteis (crescimento de US$ 396,93 milhões), fumo e seus produtos (US$ 274,01 milhões) e animais vivos (crescimento de US$ 185,99 milhões).

As carnes somaram US$ 15,83 bilhões no período. A carne de frango foi o principal produto em vendas do setor, com US$ 7,18 bilhões, ou 3,7 milhões de toneladas. Destacam-se ainda as exportações de carne bovina (US$ 5,86 bilhões, ou 1,27 milhões de toneladas) e carne suína (US$ 1,49 bilhão ou 578,76 mil toneladas). Já o açúcar foi responsável por 84,9% desse montante, com US$ 13,21 bilhões. As exportações de álcool totalizaram US$ 2,34 bilhões.

Resultados do mês
As exportações atingiram a cifra recorde para o mês de janeiro, atingindo os US$ 6,58 bilhões, o que correspondeu a um aumento de 14,7% em relação ao mesmo mês de 2012. O saldo da balança comercial do agronegócio atingiu US$ 5,12 bilhões.

Devido à expansão das exportações do agronegócio em 14,7% e diminuição nas vendas externas dos demais produtos em 9,8%, o agronegócio teve aumento de participação nas exportações totais no Brasil, passando de 35,6% em janeiro de 2012 para 41,2% em janeiro de 2013.

O complexo sucroalcooleiro foi o principal valor exportado, alcançando US$ 1,34 bilhão em janeiro (63,2%), com o açúcar ocupando posição de destaque, US$ 1,11 bilhão em vendas (48,4%).

As carnes ficaram na segunda posição em valor exportado, aumentando de US$ 1,18 bilhão em janeiro de 2011 para US$ 1,27 bilhão em janeiro de 2012 (7,7%). A quantidade exportada subiu 35,8%, de 86 mil toneladas para 117 mil toneladas, enquanto a cotação média de exportação caiu 4,8. Dessa forma, as vendas externas de carne bovina atingiram US$ 515 milhões em janeiro de 2013 (29,2%). Houve aumento também nas exportações de carne suína. As exportações passaram de US$ 97 milhões em janeiro de 2012 para US$ 104 milhões em janeiro de 2013 (7,6%).



Valor da produção de lavouras deve atingir R$ 283,5 bi em 2013


A estimativa do Valor Bruto da Produção (VBP) das principais lavouras do País teve uma atualização no mês de fevereiro, com previsão de somar R$ 283,5 bilhões em 2013, alta de 16,3% sobre 2012. Os cálculos – feitos pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) – são elaborados a partir dos levantamentos de grãos apresentados em janeiro pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao ministério da Agricultura, e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), além do cálculo sobre o preço dos produtos no mercado.

“Devido à queda do preço da soja, houve revisão dos valores previstos para este ano. Na estimativa anterior havia-se trabalhado com o cálculo de R$73,25 por saca de 60 Kg e neste mês o preço usado foi de R$ 64,6 por saca, de acordo com informações do Cepea/USP”, explicou o coordenador de Planejamento Estratégico da AGE do Mapa, José Garcia Gasques. 

A perspectiva para 2013 é que o total fosse de R$ 305,3 bilhões, no entanto, o resultado ainda é o maior da série histórica iniciada em 1997.

Os destaques quanto aos resultados positivos do Valor Bruto da Produção neste ano em relação a 2012 são o tomate, com acréscimo de 63,3%; laranja, +52,6%; feijão, +32,4%; soja, +30,8%; cebola, +26%; fumo, 21,3%; batata, 21%; trigo, +18,7%; milho, +17,8%; cana-de-açúcar, +7,5 % e maçã, +5,7%. “No caso de soja e milho especialmente, esses resultados se devem a perspectivas favoráveis de produção e também aos níveis de preços desses produtos sobre o ano passado”, destacou Gasques.

As regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul devem obter os maiores valores, com R$ 82,14 bilhões, R$ 82,13 bilhões e R$ 80,45 bilhões, respectivamente. Entre os estados, a perspectiva é que São Paulo lidere com R$ 49,9 bilhões, seguido por Mato Grosso (R$ 45,8 bilhões) e Paraná (R$ 38,7 bilhões).



J&F, dona do JBS, pode comprar Canal Rural



A J&F, holding que contrala o frigorífico JBS, deve anunciar a compra do Canal Rural, que pertence à rede RBS. O valor da operação deve ficar em torno de 150 milhões de reais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo, desta segunda-feira.

De acordo com a reportagem, com a operação, a holding controlada pela família Batista pretende se aproximar do público do agronegócios, o mesmo que é alvo do Banco Original, que também faz parte dos ativos da J&F.

Além do JBS e do Banco Original, a holding controla outras cinco companhias de diferentes setores, como a Eldorado, fabricante de papel e celulose, a Flora, de higiene e limpeza, e a laticínios Vigor.

O valor da aquisição será pago em dinheiro, segundo reportagem do Estadão. 



sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Inflação agropecuária perde força no atacado

A inflação agropecuária perdeu força no atacado. Os preços dos produtos agrícolas atacadistas caíram 1,73% em fevereiro, o que representa uma desaceleração em comparação com a alta de 0,35% apurada em janeiro, no âmbito do Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10). A informação foi divulgada há pouco pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

A instituição informou ainda que os preços dos produtos industriais no atacado aceleraram, registrando alta de 0,79% este mês, superior à elevação de 0,34% em janeiro. 



quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Começa hoje Expoinel Minas 2013


A Expoinel Minas 2013 acontecerá de 14 a 24 fevereiro, no Parque Fernando Costa, em Uberaba – MG com uma expectativa de que passe pela pista da capital do zebu mais de 1.000 animais. 

Além da pista, o calendário de leilões está repleto de grandes oportunidades, e o público também vai conferir estandes de vendas de produtos para a agropecuária como cochos, balanças, currais, marcas, cabrestos, selaria, sêmen, rações, adubos, genética, sal mineral, cutelaria, entre outros produtos, além de poder acompanhar ao vivo todos os detalhes dos julgamentos.
 
Brindes e premiações em dinheiro serão oferecidos aos tratadores, que estão nos bastidores da feira e fazem a grande diferença quando se trata de cuidados com o Nelore. Esta é a terceira Expoinel dentro do ano-calendário 2012/2013 e considerada "uma das mais importantes" segundo o gerente do ranking nacional Nelore, Marcos Pertegato. 
 
Valor da Argola: preço por animal R$ 250,00 e a partir do 16º animal o valor recua para R$230,00. 
 
Expoinel Minas 2013
De: 14 a 24 de fevereiro , na capital do Zebu, venha participar
Inscrições: 01/12/2012 a 16/02/2013
Entrada: 13 a 16/02
Data base: 17/02
 
Jurados:
Horácio Alves Ferreira Neto -- J1
Luis Renato Tiveron -- J2
Marcelo Miranda Almeida Ferreira -- J2
 
Leilões:
Nos quatro leilões oficiais que ocorrerão durante o evento os promotores irão ofertar bezerras especiais, embriões, prenhezes de  renomadas doadoras, matrizes e reprodutores de genética apurada. 

Paulo Horto, presidente da Programa Leilões ressalta que "A Expoinel Mineira tem a responsabilidade de abrir o calendário 2013 dos leilões oficiais da raça Nelore. Segundo Horto, o ano de 2012 terminou muito bem, e as últimas expoineis apresentaram crescimento significativo, "acima da expectativa dos promotores, o que traz grandes expectativas para 2013". A media dos animais comercializados na Fenagro 2012 apresentou crescimento de 37% em relação a 2011, e a media deste crescimento na Expoinel 2012 foi de 33% quando comparado com o ano anterior.
 
As oportunidades oferecidas nos leilões da Expoinel Minas 2013 são para apreciadores que querem investir em animais de qualidade e para os tradicionais criadores da raça fazerem seus investimentos em produtos que irão agregar ainda mais valor genético ao seu plantel. Não deixe de participar!
 
Informações e dúvidas com Loy Rocha:
  55 (31) 3286-5347 / 9128 4868
nelore@neloreminas.org.br 
www.neloreminas.org.br
 
Realização: AMCN - Associação Mineira dos Criadores de Nelore 
Apoio: ACNB - Associação dos Criadores de Nelore do Brasil e ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu.


Conspiração ou competição?

Artigo publicado no Financial Times

Embora o governo britânico tenha atribuído o escândalo da carne de cavalo a uma "conspiração criminosa", muitos criadores o veem como sintoma de uma cultura de alimentos de baixo custo estimulada por supermercados agressivos e consumidores em dificuldades financeiras.

"Se sistematicamente uma coisa é comprada abaixo do preço pelo qual ela pode ser produzida, é preciso entender que a qualidade ou a segurança, ou a legalidade, ou todos esses três aspectos, serão de alguma forma sacrificados", afirma Richard Longthorp, presidente da Associação Nacional da Suinocultura.

Pressões por queda de custos, associada a cadeias de abastecimento cada vez mais complexas, vêm sendo exploradas por "players" inescrupulosas em muitas áreas alimentícias. Fiscais britânicos são regularmente convocados para investigar sacas do oneroso arroz basmati misturado a grãos mais baratos e azeite de oliva diluído com outros óleos vegetais.

E, no momento em que os riscos aumentam, a capacidade dos órgãos reguladores de flagrar fraudadores é ameaçada por cortes no orçamento. O número de inspetores britânicos de carne caiu pela metade desde o pico, na década de 90, e está em 800 - embora o Departamento de Normas Alimentares argumente que os efeitos desse decréscimo foram neutralizados pela melhoria da eficiência. Já o número de testes com amostras de alimentos caiu 13% ao ano nos últimos dois anos. (LL)



Ministro britânico do Meio Ambiente, Owen Paterson convocou redes de varejo para discutir adulteração da carne bovina (Will Oliver/Reuters)





Embargo da Rússia às carnes deve perdurar


A visita ao Brasil do primeiro-ministro da Rússia, Dimitri Medvedev, na semana que vem, provavelmente acompanhado pelo ministro da Agricultura daquele país, dificilmente resultará no fim do embargo imposto por Moscou às carnes procedentes de três Estados brasileiros, segundo fontes na capital russa.

No entanto, do lado russos não foi dada nenhuma indicação de que o fim do embargo possa ser anunciado. O mais provável é que a delegação russa acerte, em Brasília, uma data para o envio de uma nova missão de veterinários ao Brasil. Isso deverá acontecer até abril, e só depois uma decisão será tomada. A presença de Nikolai Fedorov, ministro da Agricultura da Rússia, na delegação, não estava inteiramente confirmada ontem.
 
Outro problema que não facilita o melhor acesso das carnes brasileiras ao mercado russo é o atraso do Brasil em enviar os documentos exigidos por Moscou sobre o caso do mal da "vaca louca" confirmado no Paraná no fim de 2012. A documentação foi pedida em encontro entre autoridades dos dois países em 16 de janeiro em Berlim e ainda não chegou a Moscou. "Os brasileiros estão brincando com fogo", disse uma fonte.
 
A posição russa, na verdade, é idêntica a da OIE: a manutenção do status brasileiro de risco mínimo para o mal é importante, mas não basta e é preciso haver garantias de que o monitoramento deve ser forte.
 
Na visita do primeiro-ministro Medvedev a Brasilia, a expectativa é que a presidente Dilma Rousseff esteja melhor preparada sobre o tema. Em sua visita a Moscou, em dezembro, Dilma chegou a perguntar a empresários porque o tema da carne era tão importante na relação bilateral. A resposta foi de que é o principal produto de exportação para os russos, junto com açúcar - que não tem problemas, enquanto as carnes são uma dor de cabeça eterna.
 
Em 2012, as exportações brasileiras de carne bovina para a Rússia aumentaram um pouco e somente os embarques de carne suína registraram leve queda em relação a 2011. Mas os volumes estao bem longe do nivel de 2008, ano em que o Brasil mais vendeu carnes para os russos.


Brasil mantém status de risco insignificante" para doença da "vaca louca"


O Brasil conseguiu manter seu status de país com "risco insignificante" para a doença da "vaca louca" - encefalopatia espongiforme bovina (EEB) -, o que poderá facilitar a derrubada dos embargos adotados por alguns países contra a carne brasileira depois da confirmação de um caso atípico do mal no Paraná, no fim do ano passado. 
 
O comitê científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, na sigla em inglês) anunciou na segunda-feira que manteve o status do Brasil, mas recomendou "forte monitoramento" sobre a doença. O comitê sabatinou uma delegação do Brasil que esteve na semana passada em Paris sobre o caso paranaense.
 
A renovação do status de país com risco insignificante para a a vaca louca deve contribuir para um fim mais rápido das barreiras à carne bovina brasileira. Para a indústria, o reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) prova a qualidade do sistema de defesa animal do Brasil e atesta que houve exagero nos embargos.
 
Devido à confirmação, em dezembro, de um caso não clássico que ocorreu em 2010 em um animal de do Paraná, 12 países suspenderam importações do Brasil, sendo nove de todo o país e dois apenas da carne do Paraná. No caso do Chile, a barreira atinge apenas a farinha de carne e de ossos. Reunida semana passada em Paris, na França, a OIE considerou que não há risco para o rebanho nem para consumidores dos países importadores.
 
Em janeiro, o governo federal deu sinais que esperaria até março para negociar o fim dos embargos. Só depois, se necessário, abriria disputa na Organização Mundial do Comércio (OMC). Para o Ministério da Agricultura, que enviou o diretor de saúde animal Guilherme Marques para prestar os esclarecimentos no encontro em Paris, o anúncio da OIE vai facilitar a queda das restrições.
 
Conforme o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Antonio Jorge Camardelli, os países que suspenderam as importações do Brasil representam cerca de US$ 4 milhões no faturamento mensal do setor. Com a notificação da OIE, o dirigente avalia que os embargos devem começar a cair nos próximos dias.
 
O anúncio da OIE determina automaticamente a decisão de alguns países, como a Arábia Saudita, em derrubar a barreira, já que foi uma condição imposta para a retomada das importações. Outros mercados, como a China e o Japão, pela burocracia, talvez necessitem de uma intervenção maior – afirmou.
 
Embora as barreiras incomodem, não fizeram estrago nos embarques de carne bovina do país em janeiro. Dados preliminares da Abiec indicam que as remessas in natura cresceram 7% sobre dezembro e 43% na comparação com janeiro de 2012.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Leilões oficiais da raça Nelore iniciam o calendário na capital do Zebú

A Expoinel Minas 2013 que acontecerá de 14 a 24 fevereiro, no Parque Fernando Costa, em Uberaba – MG traz no calendário de leilões grandes oportunidades para o público participante e todos os apreciadores e criadores da raça Nelore. Nos quatro leilões oficiais que ocorrerão durante o evento os promotores irão ofertar bezerras especiais, embriões, prenhezes de renomadas doadoras, matrizes e reprodutores de genética apurada.

A Fazenda Nova Trindade reúne seus convidados a partir das oito da noite, dia 21 de fevereiro para o Leilão Nova Trindade Elite e Convidados  e os destaques ofertados serão 3 lotes de Fêmeas, 1 progênie de pista e 4 lotes de prenhezes - sendo 3 lotes duplos.

Na sexta-feira, 22 de fevereiro, Fazenda Baluarte, Nelore Integral, Fazenda do Sabiá, Nelore Colorado e Nelore Mafra promovem a quinta edição do tradicional Leilão Minas de Ouro, que acontecerá no Tatersal, do Parque de Exposições Fernando Costa, na capital do Zebú. Frederico Henriques Lima e Silva/Fazenda Baluarte , vice-presidente da ACNB e um dos promotores do Leilão informa que serão ofertados 35 embriões e cinco bezerras de destaque – uma de cada um dos promotores.

A Cristal Agropecuária e a Rima Agropecuária, irão ofertar no III Leilão Exclusive, dia 23 de fevereiro, as 13h, na churrascaria Cupim Grill, dentro do Parque de Exposições fêmeas e machos de pista, reprodutores, matrizes e prenhezes. O destaque deste leilão fica com as prenhezes de quatro doadoras diferenciadas – entre elas, Hamina FIV MV, que é uma das principais matrizes da atualidade da raça Nelore, e com bezerras de pista como Malu, Mahdi, Maréia, Mabeia e Lista da Cristal, e bezerros como: Maluf, Malvo e Malolo da Cristal.

Paulo Horto, presidente da Programa Leilões ressalta que "A Expoinel Mineira tem a responsabilidade de abrir o calendário 2013 dos leilões oficiais da raça Nelore. Segundo Horto, o ano de 2012 terminou muito bem, e as últimas expoineis apresentaram crescimento significativo, "acima da expectativa dos promotores, o que traz grandes expectativas para 2013". A media dos animais comercializados na Fenagro 2012 apresentou crescimento de 37% em relação a 2011, e a media deste crescimento na Expoinel 2012 foi de 33% quando comparado com o ano anterior.

As oportunidades oferecidas nos leilões da Expoinel Minas 2013 são para apreciadores que querem investir em animais de qualidade e para os tradicionais criadores da raça fazerem seus investimentos em produtos que irão agregar ainda mais valor genético ao seu plantel. Não deixe de participar!



Campo é tema de escolas de samba do Rio e de São Paulo



Celeiro do mundo, cavalo mangalarga marchador e uva e vinho serão alguns dos temas das escolas do Rio de Janeiro e de São Paulo.

No Rio de Janeiro, a Vila Isabel destaca o Brasil como celeiro do mundo. É um tema rural em plena cidade. Maurício Russomano, executivo da Basf, empresa que patrocina a escola, diz que a ideia é atingir o público não familiarizado com o dia a dia do campo.


Para Wilson da Silva Alves, presidente da escola, o foco é expor uma ideia homenageando o produtor. Diego Bertolini, do Ibravin (instituto do vinho), que patrocina a Vai-Vai de São Paulo, diz que a ideia é mostrar que o vinho pode ser consumido em qualquer hora e em qualquer lugar. 


Em 2006 a raça Nelore também foi tema de samba- enredo do carnaval brasileiro. Com o tema  "Do Boi Mítico ao Boi Real - De Garcia D'Ávila na Bahia ao Nelore - O Boi que Come Capim - A saga da Pecuária no Brasil para o Mundo" a escola paulista Império de Casa Verde, levou o título daquele ano, com a figura do boi valorizada nas alegorias.



Alimentos continuam a pressionar inflação semanal

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) ficou em +0,88% na primeira quadrissemana de fevereiro, informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No período anterior, encerrado em 31 de janeiro, a alta dos preços foi de 1,01%.

O grupo Alimentação mais uma vez registrou acréscimo de 2,18% para 2,20%. 

Apresentaram decréscimo em suas taxas de variação na primeira quadrissemana de fevereiro, na comparação com a leitura que encerrou o mês de janeiro, seis das oito classes de despesas que compõem o IPC-S: Habitação (de -0,17% para -0,59%), Educação, Leitura e Recreação (de 3,99% para 2,98%), Vestuário (de 0,29% para 0,06%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,40% para 0,37%), Despesas Diversas (de 4,22% para 4,10%) e Comunicação (de 0,02% para estabilidade).



quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Rodovias do país estão intransitáveis


A falta de infraestrutura e a má conservação de estradas e pontes em Mato Grosso estão inviabilizando o transporte de animais nas principais regiões produtoras de proteína vermelha. Os prejuízos atingem pecuaristas, frigoríficos e motoristas que acumulam atrasos nas entregas, perdas com qualidade de carcaça dos animais, danos aos veículos e descumprimento de prazos. 

Produtores têm reclamado à Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) que não houve um reparo nas rodovias e nas pontes antes do período de chuvas e agora existem trechos intrafegáveis. As precipitações se intensificaram a partir de dezembro e desde então as estradas estão se deteriorando e assim impossibilitando a passagem principalmente de carretas. 

O representante da Acrimat na região de Vila Rica (1.300 km à Nordeste da Capital), Eduardo Ribeiro da Silva relata que não há uma política de conservação e reparos nas estradas e com isso as chuvas acabam por atrapalharem o escoamento da produção, seja agrícola ou pecuária. “O problema não é a chuva, mas a falta de infraestrutura. Todos os anos chove neste período e mesmo assim não há um cuidado de prevenção. O que por um lado é bom porque ajuda na formação do pasto, acaba trazendo perdas”, afirma o produtor de uma das principais regiões criadoras de bovinos, com rebanho de aproximadamente 1,1 milhão.

Os prejuízos não são restritos aos pecuaristas. O vice-presidente do Sindicato das Indústrias Frigoríficas de Mato Grosso (Sindifrigo-MT), Paulo Tadeu Bellincanta explica que a indústria é uma extensão da criação e os danos aos pecuaristas também são refletidos no beneficiamento da carne. Bellincanta conta que as perdas vão desde o peso que reduz devido ao tempo de transporte, qualidade com relação a possíveis machucados e hematomas causados durante o trajeto do animal até mesmo com relação ao cumprimento de prazos de entrega para clientes e custos com horas extras.

Luiz Fernando Conte é pecuarista em Juara, na região do Arinos, e revela que para entregar um lote em Sinop, que fica a 300 km da cidade, estão gastando cerca de 20 horas, sendo que em boas condições este mesmo percurso não gastaria mais do que seis horas de viagem. “A situação é das piores possíveis. Tem locais que os caminhões não conseguem passar e precisam ser rebocados por tratores. Ficam parados à espera de ajuda para passar pelos atoleiros”. 

De acordo com as previsões do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE) a possibilidade de chuvas oscila entre 80% e 90% entre os próximos dias, tanto na região da Baixada Cuiabana como nas cidades de Vila Rica e Juara.

Em Alta Floresta (800 km ao Norte do Estado) a situação não é diferente. O representante da Acrimat na região, Celso Bevilaqua, afirma que há muitos problemas por falta de condições das estradas. Ele conta que entre Alta Floresta e Colíder carros pequenos estão levando cinco horas para percorrer, sendo que normalmente são duas horas. “Nunca vimos uma situação como a deste ano. Os produtores estão se unindo para alugar máquinas para amenizar os problemas nas estadas. Não podemos mais esperar iniciativa do poder público, porém continuamos a pagar os impostos”.

O superintendente da Acrimat, Luciano Vacari, afirma que ano após ano os pecuaristas reivindicam a manutenção das rodovias e das pontes para evitar que no período de chuvas haja a formação atoleiros, queda de pontes e quebra de caminhões, mas que os pedidos não são atendidos e os prejuízos ficam na conta de quem produz.

Para o consultor técnico da Acrimat e economista, Amado de Oliveira, está é uma situação nunca crítica e de calamidade pública, uma vez que a economia de algumas cidades tende a ficar estagnada.


Vem aí a Expoinel MT!!!





Safra terá maior produtividade da história, segundo Conab



O quinto levantamento da safra de grãos 2012/13, divulgado nesta quinta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), aponta para conquista da mais alta produtividade média já registrada, de 3.508 quilos por hectare. A boa produtividade, aliada ao cultivo da área recorde de 52,981 milhões de hectares, resultará na colheita de 185 milhões de toneladas de grãos, o maior volume da história.
 
O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, destacou o aumento do uso de tecnologia no campo e antecipou que no próximo plano de safra, que deve ser anunciado em maio, o governo pretende introduzir inovações para incentivar o aumento da produção e apoiar o investimento em armazenagem no campo."A presidente Dilma Rousseff nos pede para que cada vez mais estejamos sempre à frente, trabalhando em benefício do produtor brasileiro", diz ele.
 
O diretor de Política Agrícola e Informação da Conab, Silvio Porto, durante apresentação do levantamento de safra, ressaltou a contribuição do clima para a evolução das lavouras nesta safra. Ele observa que ainda não existe definição em relação à normalidade das chuvas em algumas regiões do semiárido nordestino e lembra o risco de geadas em meados do ano nas lavouras de milho safrinha no Paraná.
 
A soja e o milho são responsáveis pelo aumento de 2,096 milhões de hectares (+4,1%) na área cultivada com grãos, que atingiu 52,981 milhões de hectares. A área de soja nesta safra aumentou em 2,603 milhões de hectares (10,4%), enquanto o milho no total terá 238,9 mil hectares a mais (1,6%). 





Inflação oficial em janeiro registra a maior alta em quase 8 anos


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou a alta e subiu 0,86% em janeiro, após o avanço de 0,79% em dezembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. Trata-se da maior variação mensal desde abril de 2005, quando o aumento foi de 0,87%.

 
No acumulado de 12 meses até janeiro, o IPCA avançou 6,15% no mês passado, a maior desde janeiro de 2012 (6,22%) e mostrando alta ante os 5,84% de dezembro.
 
Os preços dos alimentos continuam pressionando o índice neste início de ano e subiram 1,99%, puxando a alta de 0,86% na inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em janeiro. A alta do grupo alimentação e bebidas ficou acima da taxa de 1,03% verificada em dezembro. O resultado foi um impacto de 0,48% no IPCA, o equivalente a 56% da inflação do mês.
 
Segundo o IBGE, problemas climáticos reduziram a oferta de vários produtos, ocasionando fortes aumentos de preços. Os destaques foram o tomate (26,15%) batata-inglesa (20,58%), cebola (14,25%), hortaliças (10,86%) e cenoura (9,83%).
 
Há três anos, a inflação oficial brasileira tem ficado na parte superior da meta, tendo subido 5,84 por cento em 2012. O cenário atual pode ser determinante para definir uma possível mudança na Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, que atua,ente está no patamar histórico de 7,25%a.a.


Governo lançará contratos de opção para compra de milho


O Governo analisará demandas dos produtores de suínos e poderá adotar medidas de apoio, segundo o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, durante reunião com o setor nesta quarta-feira, 6 de fevereiro, em Brasília.

No encontro, representantes de entidades ligadas à suinocultura entregaram ao ministro as prioridades para 2013.  Entre elas, a recomposição de estoques públicos de milho. 

De acordo com o titular da pasta da Agricultura, entre fevereiro e março será publicada portaria interministerial autorizando o lançamento de Contratos de Opção de Venda para aquisição do cereal por meio de leilões públicos a serem realizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Mapa.

“Sabemos da necessidade da recomposição de estoques e lançaremos contratos com preços adequados para essa finalidade”, explicou Mendes Ribeiro, acrescentando que dialogará com os demais ministérios para tratar das demandas dos suinocultores.

Em janeiro deste ano, o Governo Federal autorizou em caráter excepcional a compra de até 300 mil toneladas de milho para recomposição de estoques públicos, que serão utilizados para venda em Balcão a pequenos produtores da área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).



Exportações de carne bovina crescem em volume e faturamento


Segundo a Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carnes (ABIEC), os resultados prévios das exportações de carne bovina em janeiro de 2013, indicam um crescimento em volume e faturamento. As exportações de carne in natura, que representam mais de 80% do total dentre todos os produtos que compõem as exportações de carne bovina, somaram quase 89.500 toneladas, um crescimento de 7% sobre dezembro. 
 
Com relação a janeiro de 2012, o crescimento foi ainda maior, chegando a 43%. O faturamento com as exportações de carne bovina in natura também cresceu. O valor de US$ 409,2 milhões foi 5,2% maior que o resultado de dezembro e 36% acima do exportado em janeiro de 2012.
 
Os principais destinos da carne in natura brasileira em janeiro foram Rússia, Hong Kong e Venezuela.Juntos estes três mercados representaram 64% do volume exportado em janeiro.
 
Rússia
Mais de 28 mil toneladas de carne foram exportadas a este destino em janeiro de 2013, resultando em faturamento de US$ 109,4 milhões. O resultado de janeiro ficou 75% acima da média exportada nos últimos três meses, tanto em volume quanto em faturamento. Na comparação com janeiro de 2012, houve aumento de 52% no faturamento e 73% no volume.
 
Hong Kong
A exportação de carne bovina in natura para Hong Kong chegou a 15.157 toneladas em janeiro, com faturamento de US$ 67,816 milhões, o maior resultado já observado para este destino no período. Na comparação com dezembro o aumento foi próximo a 25% e na comparação com janeiro anterior, a alta chegou a 85%.
 
Venezuela
O total de carne bovina in natura exportado para a Venezuela foi de 13.822 toneladas somando US$72,5 milhões, um aumento de 21% sobre o resultado de dezembro. A variação é ainda maior quando comparamos o resultado de janeiro de 2013 e janeiro de 2012. Houve aumento de cerca de 50% nas exportações neste período.
 
Restrições:
Em virtude do achado priônico do Paraná ocorrido em 2010, as exportações brasileiras encontram restrições para os seguintes mercados: Japão, China, Taiwan, África do Sul, Arábia Saudita, Peru, Coréia do Sul. Em 2012 estes países representaram juntos, cerca de 5% do volume total exportado pelo Brasil.
 
Líbano e Jordânia restringiram as importações apenas da carne originada no Estado do Paraná.
 
A ABIEC, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e o Ministério das Relações Exteriores estão trabalhando em conjunto para as restrições sejam revogadas com a maior brevidade possível.


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Projeto Brazilian Cattle registra boom de exportações em 2012


Durante todo o ano de 2012 as exportações totais das empresas associadas ao projeto resultaram em uma cifra superior a 403 milhões de dólares. Este número engloba as negociações realizadas por todos os segmentos contemplados pelo projeto.
 
Este número é motivo de comemorações por ilustrar um crescimento muito acentuado das exportações de nossos parceiros no último ano. Em 2011 obtivemos um resultado pouco abaixo dos 247 milhões de dólares, o que nos evidencia que o crescimento, em um ano, atingiu a impressionante marca dos 63%. 
 
Se analisarmos o crescimento das exportações desde o início do Brazilian Cattle, entretanto, este número se mostra ainda mais impressionante. Em 2003, ano de fundação do projeto, a soma de todas as exportações dos associados era de aproximadamente 5 milhões de dólares. O crescimento registrado em todo o período, portanto, é de pouco menos que 8.000% (oito mil por cento).
 
O crescimento é certamente impressionante, e nos leva a várias conclusões. O mercado internacional tem se mostrado cada vez mais receptivo a produtos relacionados à cadeia da pecuária zebuína brasileira, e nossos criadores e empresas tem sabido aproveitar este cenário favorável em prol de seus produtos e serviços. Grande parte disso é resultado do trabalho do Projeto Brazilian Cattle, que ao longo destes quase 10 anos de existência promoveu a abertura de diversos mercados através de ações promocionais em toda a faixa tropical do globo. Além disso, o projeto articulou, junto ao MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a viabilização de protocolos sanitários com diversos países, a exemplo do recentemente aberto protocolo para exportação de sêmen bovino para a África do Sul. Estes protocolos são o primeiro instrumento necessário para possibilitar a exportação de animais vivos, sêmen ou embriões a determinado país.
 
Em 2013, o Projeto Brazilian Cattle renova seu convênio com a Apex-Brazil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, e redesenha suas estratégias para o próximo biênio. Este é um processo meticuloso, que leva em conta as realidades atuais de cada país e de cada empresa associada, a fim de assegurar que ao final do próximo ano possamos, mais uma vez, apresentar resultados tão positivos quanto os atuais. A renovação do convênio é, ainda, o momento ideal para que novas empresas e criatórios integrem o Projeto Brazilian Cattle, e passem a usufruir também de todos os resultados positivos que esta iniciativa pode alcançar.

Para consultar sobre novas adesões, entre em contato pelo e-mail comunicacao@braziliancattle.com.br, ou pelo telefone   34 – 3319 3963.